domingo, 16 de março de 2014

(sem título)


e porque as aves não voam
sem exporem o peito ao mundo
a mulher-ave abre as asas
na água do amor
e expõe o peito frágil
e entrega as mãos ao vento
e o corpo desliza pelas coisas
como uma serpente

há mulheres que vivem como pássaros
de asas abertas
e peito vulnerável
desafiando a vida

porque no centro do seu peito
há serpentes ocultas que fitam


Sem comentários: